Supply Chain: por que isso é importante na gestão de projetos?

Tempo de leitura: 5 min

A supply chain é o termo em inglês para designar a complexa teia logística que permeia toda operação de produção, distribuição e venda ao consumidor. Logo, pode ser definida também como a rede que envolve todos os processos que viabilizam a chegada de um produto ao Ponto de Venda (PdV).

Sua tradução também nos indica do que trata. A cadeia de suprimentos engloba todas as etapas produtivas, começando pela extração da matéria-prima até a passagem da mercadoria finalizada às mãos do cliente final.

Indústria, empresas agrícolas, varejistas e atacadistas são os segmentos que lidam mais diretamente com as operações nesse sentido. Todas os participantes desta rede precisam estar muito bem coordenados e, por isso, é imprescindível bom planejamento para dar sequência ao processo. 

Saiba mais sobre este tema fascinante e desafiador e como obter resultados em sua empresa a partir da sua gestão.

O que é supply chain?

Certamente você já deve ter observado nas etiquetas de suas roupas a inscrição “Made in…”. Porém, talvez não saiba que, por trás dessa frase simples, existe toda uma série de operações integradas que tornaram possível a chegada dessa peça até você. 

Imagine, por exemplo, a quantidade de pessoas e especialistas envolvidos desde a produção de uma simples camiseta na China até a sua exposição nas lojas brasileiras. Trata-se de um longo e intrincado conjunto de tarefas, deslocamentos, processos de transformação e de distribuição, apenas para que uma mercadoria possa ser vendida e gerar lucro.

Essas etapas compõem a supply chain em sua essência. Não por acaso, é também chamada de cadeia de valor, por tudo que gera em seu desdobramento. Nela, os responsáveis por cada estágio da produção e distribuição buscam os melhores preços, condições e métodos para maximizar o retorno.

Portanto, uma cadeia bem estruturada e com custos mínimos é garantia de produtos mais baratos e de melhor qualidade para o seu cliente. É nisso que consiste a supply chain, que pode até ser comparada com um quebra-cabeças, cuja montagem certa permite a visualização clara de custos e receitas.

Como a supply chain funciona?

O funcionamento de uma cadeia de suprimentos consiste, como vimos, na coordenação entre diversos agentes envolvidos. Para os responsáveis por cada fase, operações eficientes dependerão dos equipamentos utilizados, da disponibilidade de fontes e de como vão entregar seus produtos à indústria, seja ela qual for.

Essa microanálise dos elementos de uma supply chain é um recorte do que acontece na cadeia de uma forma ampla. É como se todos os operadores estivessem sempre ocupados em encontrar formas melhores de produzir, distribuir e estocar.

Sendo assim, uma rede bem montada de distribuição pode ser considerada como o coração de uma supply chain que funciona. Afinal, se um produto não chegar, será impossível que ele cumpra seu papel social, certo?

Aliada à distribuição, a gestão de estoque é outro ponto sensível no contexto da cadeia de suprimentos. Todo varejista deve, necessariamente, trabalhar com ferramentas que viabilizem um giro de estoque adequado às demandas do seu cliente. Isso implica calcular os custos de distribuição, prever o encalhe de mercadorias e utilizar ferramentas como a PEPS (Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair).

Por todos esses elementos, a cadeia de valor é também um fluxo. Sendo assim, sua interrupção gera consequências nefastas em maior ou menor grau. Um bom exemplo dos transtornos causados pela parada na rede de distribuição foi a greve dos caminhoneiros em 2018.

Foram apenas 9 dias, mas os efeitos da paralisação dos fluxos foram tão graves que houve cidades que decretaram estado de calamidade pública. Portanto, pode-se dizer que uma supply chain parada tem efeitos similares aos de um desastre natural, em maior ou menor escala.

Qual a relação com o gerenciamento de projetos?

Os riscos inerentes à arquitetura de uma cadeia de suprimentos, como se pode perceber, não são poucos. Greves, estradas malconservadas, problemas com frotas de veículos e na estocagem podem colocar toda uma produção a perder.

Tendo em vista a necessidade de evitar que os fluxos da supply chain sejam interrompidos, é fundamental consolidar a gestão de suas etapas. Desta forma, o gerenciamento de projetos assume um papel indispensável no sentido de antecipar ameaças.

No geral, essa abordagem gera vantagens que se materializam em:

Melhorias na comunicação

A partir da implementação de instrumentos que permitam gerenciar as etapas da cadeia de valor, há a natural melhora na troca de informação entre as partes interessadas. Na verdade, todo gerenciamento só se torna possível quando as pessoas estão conectadas por canais de comunicação permanentes. É uma via de mão dupla, em que a eficiência de um depende do feedback do outro.

Gestão colaborativa

Em última análise, comunicar é colaborar. Quando sua empresa é capaz de envolver os profissionais da sua cadeia de suprimentos, estimula um ambiente de cooperação. Todos tomam ciência de sua importância para a consecução das suas tarefas, gerando mais comprometimento, resultando em mais valor.

Análise do processo

Por outro lado, o gerenciamento de projetos relativos à supply chain demanda controle rigoroso. Assim, uma rede bem coordenada é aquela em que os processos são avaliados em caráter permanente.

Para isso, é preciso postura empreendedora, no sentido de se perguntar constantemente se todas as etapas estão sendo cumpridas dentro dos prazos. E se o distribuidor atrasar? E se a mercadoria não estiver no padrão de qualidade? São gargalos de produção para os quais deverá ter sempre pelo menos uma solução.

Que recursos podem ser utilizados?

Em função da grande complexidade em estruturar uma cadeia de valor, é mais que necessário contar com recursos que otimizem o tempo e que sejam à prova de falha humana. Dessa forma, é necessário automatizar tanto quanto possível processos e tarefas que, se fossem feitas manualmente, inviabilizaram o fluxo de mercadorias.

Assim, ter à disposição sistemas ERP projetados sob medida ou softwares destinados à gestão de grandes operações logísticas é a melhor resposta aos desafios deste setor. Não deixe de recorrer à tecnologia e ao apoio de especialistas, afinal, a supply chain é, definitivamente, apenas para pessoas muito preparadas.

Este artigo foi útil para você? Assine nossa newsletter e receba outros gratuitamente!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.