People Analytics

O que é o People Analytics e como implementá-lo nas empresas

Tempo de leitura: 6 min

People Analytics é o conjunto de técnicas de análise de dados baseados em Big Data que vem ganhando a preferência de gestores de Recursos Humanos mundo afora. Afinal, sua aplicação é fartamente documentada em diversos estudos de caso nos quais as empresas-alvo perceberam aumento considerável em receitas e na eficiência.

CEOs do mundo todo estão atentos a esse conceito, que já deixou de ser uma tendência e caminha a passos largos para se tornar uma regra. Ou seja: daqui para a frente, empresas que pretendem se manter competitivas deverão adotá-lo em suas estratégias. É o que evidencia a 20ª Pesquisa Global com CEO’s da PwC. Nela, mais da metade dos entrevistados contou que está em processo de reavaliação da função do RH em suas empresas. São os ventos da mudança levando os líderes a repensarem suas atividades.

Contudo, não basta apenas reconhecer a relevância dessa nova forma de tratar a performance e o desempenho em RH. Afinal, quando se trata de People Analytics, as possibilidades se estendem ao infinito. Vamos avançar na leitura para saber o que isso significa?

Afinal, do que se trata o People Analytics (PA)?

Para compreender mais precisamente em que consiste PA, é necessário resgatar outro conceito, o de Big Data. Nesse caso, estamos falando do enorme volume de informação gerado por pessoas em todo o mundo em seus dispositivos online. 

Logo, é dessa imensidão de conhecimento em escala global que nascem as ferramentas que usam Analytics. É o que faz, por exemplo, a clássica ferramenta do Google para análise da performance de sites.

O que os cientistas de dados fizeram, no caso, foi transplantar essa abordagem de coleta e tratamento de dados para os setores de Recursos Humanos. Com isso, provocaram uma verdadeira revolução na forma de gerir pessoas. 

Com o People Analytics, o papel do gestor passa a ser mais parecido com o que faz um engenheiro e menos com o de um psicólogo, ainda que a Psicologia continue fundamental. O que muda, na verdade, é que a abordagem passa a ser mais científica e menos empírica, ou seja, baseada apenas na experiência.

Quais são seus impactos na gestão de pessoas?

Há inúmeros exemplos de aplicação bem-sucedida para ilustrar o potencial que o People Analytics apresenta para gerar excelentes resultados. Veja, por exemplo, este estudo de caso conduzido pela McKinsey com uma rede de restaurantes. Seu objetivo era coletar dados para mapear a cadeia de valor de talentos e, assim, reduzir a rotatividade de funcionários.

Como resultado, em apenas quatro meses, os índices de satisfação do cliente aumentaram mais de 100%. A velocidade do serviço — medida pelo tempo entre a conclusão do pedido e a transação — melhorou em 30 segundos. Além disso, os conflitos entre funcionários diminuíram substancialmente, e as vendas aumentaram em 5%. Não é incrível?

Pode até parecer milagre, mas na verdade, o que se fez, nesse caso, foi levar a gestão de pessoas a um novo patamar de excelência. Por meio de dados estruturados, a empresa em questão conseguiu não apenas reverter o turnover como obteve incremento nas receitas enquanto dobrou os KPIs ligados à satisfação.

Como implementá-lo no seu ambiente de trabalho?

A seguir, apontaremos um passo a passo em forma resumida para você começar a implementar o conceito em sua empresa. Eles deverão ser acompanhados de outras medidas e, de preferência, por administradores ou por gestores de RH profissionais. Confira.

Trace metas

O PA se presta para uma infinidade de objetivos. Portanto, seu uso efetivo dependerá, primeiro, das metas que sua empresa tiver definidas ou desafios que precise superar. O caso estudado pela McKinsey, por exemplo, é uma boa ideia de meta, afinal, a rotatividade é sempre um problema. 

No entanto, essas metas podem variar indefinidamente, dependendo das necessidades em termos de gestão de RH que sua empresa venha a apresentar.

Selecione as fontes e colete dados

O Big Data tem uma espécie de “filho bastardo”, o ambiente chamado de Dark Data. Nele, está todo o volume de informação produzido e não utilizado, formando assim um repositório colossal de dados sem qualquer serventia. Veja o que diz nesse sentido um estudo da IBM.

De acordo com a gigante da computação, 90% dos dados em circulação no mundo foi gerado apenas nos dois últimos anos. Por isso, antes de adotar People Analytics, procure primeiro estipular criteriosamente de onde os dados sobre as pessoas serão extraídos. 

Outro ponto importante é tratar esses dados com ferramentas de análise e modelagem estatística. E já que falamos da IBM, uma das mais reconhecidas do mercado é o seu software SPSS. Além dele, temos o MiniTab, Statista, KNIME, entre outros para análise de dados.

Estipule KPIs confiáveis

Embora esses softwares forneçam, por si só, alguns indicadores, é preciso que você defina os seus próprios Key Performance Indicators (KPI), em português, indicadores-chave de desempenho. Nesse caso, é fundamental que os resultados das análises sejam testados e validados estatisticamente e que tenham sua relevância comprovada na prática, ou não passarão de números sem qualquer valor.

Antecipe ações e reavalie o modelo 

O trabalho não termina quando a empresa coleta dados e os transforma em informação útil para tomar decisões. Em primeiro lugar, porque sempre é possível avançar ao tratar de gestão de pessoas. Depois, porque até mesmo o People Analytics pode falhar, como acontece nas empresas com pouca maturidade digital ou com inteligência de negócios incipiente.

Portanto, ao analisar os dados sobre as pessoas em sua organização, tome-os como ponto de partida para um novo estágio evolutivo. Continue aperfeiçoando suas ferramentas de análise, buscando sempre o feedback das pessoas envolvidas no processo.

Não se discute que, hoje, gestores em geral têm muito mais ferramentas à disposição do que nunca. Contudo, essa abertura em termos de material de trabalho ainda precisa ser traduzida em resultados. Especialmente em países como o Brasil, que ainda têm um longo percurso a ser cumprido até alcançar a excelência digital, toda análise deve ser acompanhada de perto.

Chegamos ao final deste artigo esperando que tenha ficado claro para você o que representa o People Analytics no contexto da gestão em RH. Como vimos, trata-se de um avanço em escala mundial e de eficácia comprovada. Não deixe de implementá-lo em sua empresa caso ainda não tenha feito.

Aproveite e divida o novo conhecimento que acaba de adquirir, compartilhando este artigo em suas redes sociais.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

3 Comentários

  1. My family members all the time say that I am wasting my time here at web, but I know I am getting
    know-how daily by reading such pleasant content.

    Also visit my blog – Winona

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.