Entenda como a certificação ISO impacta o gerenciamento de projetos

Tempo de leitura: 6 min

Quem trabalha na área de gestão de projetos, independentemente do nicho, já ouviu falar ou teve contato com a certificação ISO. Essa certificação é uma das chaves para implementar uma gestão da qualidade e se destacar no mercado.

A certificação ISO tem o objetivo de desenvolver modelos e normas para serem seguidos por todas as empresas, em todo o mundo. Visando ao atendimento de diversos setores, as normas foram divididas em famílias: ISO 9000 (para a gestão da qualidade), ISO 14001 (para a gestão ambiental) e ISO 45001 (focada na saúde e segurança do trabalho).

Se você quer entender melhor sobre esse assunto e como as certificações impactam no gerenciamento de projetos, continue lendo este conteúdo!

O que é a certificação ISO?

ISO é uma sigla internacional que faz referência à Organização Internacional de Padronização, uma entidade de normatização com sede em Genebra, na Suíça. O objetivo das certificações é que haja uma padronização em métodos e sistemas, a fim de que uma empresa possa comercializar com outros países, por exemplo, sem divergências de resoluções ou aplicações. 

No Brasil, a ISO é representada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Ao ser certificada pela entidade, a organização mostra que está em conformidade com as normas e atende aos requisitos vigentes em seu nicho de atuação. 

Quais são seus impactos para o gerenciamento de projetos?

O gerenciamento de projetos é um conjunto de técnicas, conhecimentos e habilidades que facilitam o planejamento, execução e monitoramento dos processos. Assim, é papel do gestor verificar e controlar a execução, sugerindo mudanças e novas implementações. 

Por isso, a busca por essas certificações é um importante passo no gerenciamento de projetos, revelando o profissionalismo e maturidade da organização frente aos seus concorrentes. Embora esse processo gere custos para a empresa, com a readequação de processos internos, gestão de risco, mudanças de equipe e outras alterações, ele é extremamente necessário e traz muitos benefícios. 

Por utilizarem metodologias comprovadas e que trazem benefícios efetivos ao gerenciamento de projetos, as normas ISO garantem confiança ao mercado sobre os produtos e serviços prestados e padroniza a documentação de todos os processos, facilitando o gerenciamento por parte do gestor.

Dessa forma, as certificações são importantes aliadas para a manutenção da qualidade da organização, qualquer que seja o seu segmento. Essa validação traz impactos positivos na satisfação do cliente final, reduz desperdícios, garante a implementação de uma gestão de alta eficiência, agrega um diferencial competitivo e contribui para uma maior organização das equipes de trabalho.

Quais são as principais características de cada norma?

Como citamos no início deste post, cada família da ISO serve para atestar a padronização de alguma área. Confira as características de cada uma elas a seguir. 

ISO 9000

Essa série é uma das mais conhecidas. Sua primeira versão foi criada em 1987, mas depois disso ela já passou por várias atualizações. Composta pelas normas ISO 9001 e ISO 9004, ela está associada ao gerenciamento da qualidade. Essa ISO descreve os princípios de um sistema de gestão da qualidade, define a terminologia e apresenta elementos garantidores da qualidade, com acompanhamento de todo o ciclo de desenvolvimento de produtos.

A ISO 9004, especificamente, tem foco na melhoria contínua, com uma abordagem orientada aos processos. Ela está baseada nos oito princípios de gerência da qualidade: liderança, foco no cliente, envolvimento de pessoas, abordagem de processo, abordagem sistêmica, melhoria contínua, tomada de decisão e relações com fornecedores ou seja, é uma ampliação dos requisitos abordados na ISO 9001.

ISO 14000

A série 14000 teve sua primeira versão criada em 1993 e sua última revisão foi feita em 2015. Ela também é conhecida como Sistema de Gestão Ambiental (SGA) e está ligada à gestão do meio ambiente sustentável. Ela traz normas específicas acerca da proteção do meio ambiente e cria soluções para minimizar o impacto das ações das empresas, prevenindo a poluição, descartes incorretos de materiais, uso correto da água, entre outros.

ISO 45001

Essa norma é recente e sua versão final foi publicada em 2018. Ela tem foco na melhoria do desempenho da saúde e segurança do trabalho nas empresas e normatiza o Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (SGSSO). Como mais de 2 milhões de pessoas morrem anualmente por doenças ou acidentes decorrentes do trabalho, a certificação foi criada a fim de incluir a proteção da saúde física e mental como requisito de qualidade de empresas.

Como obter a certificação ISO? 

As certificações ISO representam uma oportunidade para o crescimento das organizações e posicionamento no mercado. Mas para receber esse certificado, é necessário passar por um processo de adequação, que inclui planejamento, alteração de processos e, por fim, a auditoria.

Primeiramente, é preciso realizar um diagnóstico para verificar qual a situação da empresa em relação aos requisitos. Nesse momento, é importante que os gestores dos projetos sejam capazes de verificar essas validações e sugerir as que ainda precisam de mudanças. Depois, é preciso planejar e organizar as implementações e delegar os responsáveis para cada etapa. Aqui, fixa-se datas de entrega, verifica-se a complexidade das ações e analisa-se as disponibilidades internas. 

Em seguida é a fase da implementação, em que as alterações são colocadas em prática, fazendo com que toda a equipe se envolva nos procedimentos e busque o objetivo comum de conseguir atingir todos os pontos da norma. Após a implementação, é chegado o momento de passar pela auditoria externa, realizada pelo órgão certificador. Se tudo estiver correto, a empresa ganha o certificado.

Percebemos então que, para conquistar a certificação ISO, é muito importante que a organização esteja dentro dos padrões de qualidade. Há consultorias que auxiliam a empresa nesse quesito, mas ter um colaborador com a expertise necessária é um diferencial. Um líder interno consegue perceber melhor algumas situações, além de estar por dentro da rotina das equipes. 

Uma das maneiras de conquistar esse know how é fazendo um MBA em Gestão Integrada da Qualidade. O curso tem o objetivo de capacitar os alunos a uma visão estratégica, contribuindo para a melhoria da qualidade, meio ambiente e saúde e segurança dos trabalhadores. Se você está em busca dessa especialização, conheça a pós-graduação da UCL nessa área!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.